E se este fosse o futuro jersey da EF-Education First?

E se este fosse o futuro jersey da EF-Education First?

Como sabem, arranquei com o Marretaman podcast há uns tempos e o interesse pelo assunto levou-me a ouvir alguns outros podcasts, entre os quais o podcast de um site de referência como é o Cyclingtips, aliás um dos meus preferidos. Num artigo posterior mostraram aquilo que poderia ser o o futuro jersey da EF-Education First e restantes equipas.

Num dos podcasts, perguntaram a Justin Williams (ciclista americano foi profissional em equipas continentais), que tem um projecto chamado L39ION (Legion) of Los Angeles, qual a primeira coisa que faria se fosse responsável pelo ciclismo mundial?

Justin Williams

Williams respondeu que renovaria a imagem das equipas, obedecendo a certos parâmetros, porque quando olhamos para um pelotão de 200 ciclistas não sabemos quem está onde, por exemplo os fãs têm dificuldade em identificar os seus ciclistas preferidos.

Na opinião de Justin Williams os jerseys das equipas deveriam ter o número e o nome do ciclista, e poderiam ter alguns logótipos alusivos às vitórias mais importantes do ciclista.

O número poderia ser o do ranking UCI do ciclista, Justin Williams deu até o exemplo de que no Moto GP o número 1 fica reservado ao piloto que foi campeão do mundo.

Na sua opinião as equipas também deveriam manter as cores e os ciclistas poderiam ter o direito de personalizar os seus capacetes.

“O ciclismo precisa criar super estrelas, a primeira coisa que faria seria colocar números e nomes nos Jerseys.”

Disse Justin Williams ao Cyclingtips

O designer gráfico Adrian Ridley, também ouviu a ideia no podcast e rapidamente criou um esboço daquilo que seria o jersey da Ef-Education First, neste caso de Alberto Betiol, que seria o número 78, teria o nome e o símbolo alusivo ao Tour de Flanders que venceu.

Aqui no Marretaman, somos apaixonados pela comunicação e marketing, e eu em concreto ao ler o artigo do Cyclingtips achei a ideia simplesmente brilhante, é daquelas ideias que nos coloca a pensar: como é que ninguém se lembrou disto antes?

Na verdade, algumas equipas como a Ineos já o fizeram ( goste ou não se goste desta equipa, tem sido inovadora em muitos aspectos), já colocam o nome dos ciclistas no jersey, embora de uma forma um pouco tímida.

Mas a ideia do número no jersey, explorando o ranking World Tour parece fantástica, bem como a personalização dos capacetes, sapatos etc.

Já pensaram no “boom” comercial que isto seria para as marcas? O adepto poder ter o capacete com a pintura do ciclista de que gosta? Como no motociclismo!

Aquele ciclista que quase passa desapercebido teria outro mediatismo, por exemplo nós portugueses, não compraríamos um Jersey da Education First mas sim de Rúben Guerreiro, ou de Rui Costa, ou Nelson Oliveira no caso das suas equipas UAE Team Emirates e Movistar respectivamente.

E tu que pensas da ideia? Deixa a tua opinião nos comentários.

Por: Luís Beltrão

Fonte: Cyclingtips

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do MARRETAMAN.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Noticias relacionadas

Colnago V3Rs Tdf, a primeira bicicleta oficial do Tour de France

Colnago V3Rs Tdf, a primeira bicicleta oficial do Tour de France

Giro de Itália – Resumo final

Giro de Itália – Resumo final

NOVA Canyon Speedmax CFR TT disc para  contrarrelógio

NOVA Canyon Speedmax CFR TT disc para contrarrelógio

Giro de Itália – Resumo etapa 18

Giro de Itália – Resumo etapa 18

2 Comments

  1. Sem dúvida, uma excelente ideia, e sempre a ter em conta que os adeptos é que fazem as modalidades. Eu também comprava a do Ruben.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a Newsletter

* Preenchimento necesssário

Escolha a newslwtter que pretende receber:

Categorias de Artigos